Purina Proplan

0800 7701190

Por favor Rote su dispositivo para una mejor experiencia!

Problemas neurológicos em cachorros idosos

Aprenda mais sobre a saúde dos cachorros de idade avançada

SÍNDROME VESTIBULAR IDIOPÁTICA

O sistema vestibular está localizado no ouvido interno e é o encarregado de proporcionar informação ao cérebro sobre a posição e movimentos da cabeça. Dessa forma, facilita a coordenação dos músculos para manter o equilíbrio, a movimentação dos olhos e a posição da cabeça. O sistema vestibular pode ficar afetado em caso de otite grave e/ou interna, ou se existir alteração dos nervos que coletam e tramitam toda a informação nele criada.

Porém, em cachorros idosos, ela pode aparecer de forma súbita uma síndrome de causa desconhecida que se manifesta através do entortamento da cabeça, da perda de equilíbrio e um movimento anormal dos olhos, que não está associado a outros sinais típicos da síndrome vestibular de origem neurológica ou por otite. Aparece de forma súbita e gradativa e a maioria dos cachorros se recupera com normalidade em um prazo de três a seis dias, embora em alguns casos, possa persistir certa inclinação da cabeça.

O veterinário explorará seu cachorro e fará os testes oportunos para determinar qual a causa da síndrome vestibular idiopática. Às vezes, se houver outros sinais de suspeita é possível que tenha que fazer um exame de sangue para descartar algum problema relacionado com o hormônio tireoideo. O tratamento consiste apenas em que seu cachorro faça repouso e que tenha fácil acesso à água e alimento.

APRISIONAMENTOS VERTEBRAIS E TREMORES

Os problemas dos nervos que são originados na medula espinal e proporcionam sensibilidade e controle dos músculos das extremidades são mais frequentes em cachorros idosos devido ao desgaste das articulações entre vértebras. Os nervos das extremidades saem do canal vertebral por uns orifícios que ficam entre cada uma das vértebras e a artrose e outros problemas relacionados com a idade podem fazer com que estes orifícios se alterem e comprimam os nervos.

Muitas vezes podemos pensar que os problemas de movimentação de nosso animal de estimação já velhinho são normais para um animal da idade dele, mas a presença de um problema nas raízes nervosas pode agravar as consequências da artrose própria da idade avançada.

Algumas raças estão mais predispostas a sofrer problemas nos nervos das extremidades posteriores. Em algumas situações, os primeiros sintomas são associados a tremores nas extremidades quando o cachorro fica em pé. A exploração detalhada do animal e a realização de exames e comprovação dos reflexos espinais podem facilitar o diagnóstico e localizar o ponto no qual se originam. Às vezes, o animal deverá ser submetido a técnicas de diagnóstico com imagens como raios-X simples, ou inclusive a uma ressonância magnética ou TAC para localizar a origem da lesão e sua gravidade. Também pode acontecer que o problema não seja causado por um desgaste das estruturas ósseas, mas pela presença de outras doenças.

Várias patologias do metabolismo, como a diabetes e o hipotireoidismo podem afetar os nervos periféricos. Neste pressuposto, o veterinário deverá realizar exames de sangue a seu cachorro para determinar se as mudanças observadas são consequência de alguma outra doença que tenha passado despercebida.

TUMORES E CRISES EPILÉPTICAS

A presença de tumores no sistema nervoso central também pode causar sinais parecidos com os da síndrome vestibular ou ao “aprisionamento” dos nervos. Às vezes, a gravidade dos sinais clínicos ou a presença de alterações do nível de consciência ou do movimento do animal farão com que suspeitemos deles, mas em outros casos será necessário descartá-los. Assim, por exemplo, não é habitual que um cachorro tenha sua primeira crise epiléptica depois de ter completado sete anos. O habitual é que já tenha sofrido crises a idades mais precoces.

Nesse caso, seu veterinário recomendará para os ataques epilépticos em cachorros idosos a realização de exames de diagnóstico por imagem para descartar a presença de tumores no sistema nervoso central, que são mais frequentes a partir dos sete anos de idade, seja porque foram gerados ali em primeira instância, seja como consequência da metástase de tumores originados em outros lugares.

OUTROS PROBLEMAS NEUROLÓGICOS EM CACHORROS IDOSOS

Existem outros muitos problemas neurológicos em cachorros idosos que podem aparecer, mas são bem menos frequentes. A encefalite do cachorro velho pode ser consequência de uma infecção pelo vírus da esgana a idades precoces, embora existam outras causas da encefalite que podem aparecer a qualquer idade, como as secundárias a outras infecções ou devido a uma reação adversa a uma vacina. É verdade que são bem pouco frequentes, mas sempre requerem de um tratamento de urgência.

OPTIAGE®com Óleos Botânicos
Fornece nutrição avançada para proteger os cães com mais de 7 anos, mantendo-os saudáveis e ativos.
Não interessa seu tamanho, seu cuidado não tem limites. Conheça o plano de nutrição de última geração que está revolucionando a forma de alimentar e proteger os cachorros.