Purina Proplan Veterinary Diets

0800 7701190

Por favor Rote su dispositivo para una mejor experiencia!

Diabetes nos gatos

Diabetes mellitus felina

A diabetes mellitus é uma condição séria, mas controlável. Estima-se que 1 em 200 gatos é afetado por esta doença e se seu gato for um deles, há certas coisas que você deveria saber, já que seu tratamento demandará uma dedicação séria.
A diabetes felina ou uma insuficiência de insulina pode ser diagnosticada a qualquer idade do gato. Embora a partir dos seis anos ou se sofrem de obesidade, possam aumentar as possibilidades de serem afetados.

Entendendo a diabetes.
Depois de cada comida, o organismo libera glicose no trato sanguíneo. Quando isso acontece, o pâncreas segrega insulina que permite que a glicose seja absorbida pelas células e as possa usar como energia.


Quando o gato sofrer de diabetes:
O pâncreas não funciona corretamente e gera-se uma insuficiência de insulina.
Como resultado, continua produzindo glicose, mas não pode ser assimilada pelas células para ser usada como energia e fica no fluxo sanguíneo.
Os níveis de glicose em sangue aumentam em sangue e em urina, desidratando o gato. A sede excessiva pode ser um sintoma.
À medida que o corpo fica sem glicose, deve procurar uma nova fonte de energia, portanto, começa a consumir a gordura e os músculos. É por isso que o gato pode perder peso apesar de que aumente seu apetite.
Quando o corpo não pode usar a glicose disponível no sangue e metaboliza a gordura, o fígado libera cetonas. O excesso delas no sangue ou urina pode trazer complicações incluindo acidose e outros potenciais problemas como lipidose hepática ou infecções do trato urinário.
Como diagnosticar a diabetes felina
É possível diagnosticar através de exame de sangue que avaliem os níveis de cetonas e glicose em sangue ou urina. Para confirmar o diagnóstico de diabetes é necessário realizar uma análise de sangue em jejum.
Durante as primeiras semanas, o gato precisará de insulina e terá que visitar o veterinário para ajustar a dose, frequências ou tipo de insulina. Há que monitorar muito por perto o consumo de água, a quantidade de urina, a glicose na urina e a saúde geral do animal.


Tratamentos efetivos

O tratamento dependerá da gravidade do caso. Pode chegar a incluir hospitalização para estabilizar a condição. Alguns casos podem ser controlados com medicação via oral e uma dieta especial, embora muitos requeiram uma dose diária de insulina.
A meta deste tratamento será manter a glicose em sangue a um nível saudável durante o dia e prevenir futuras complicações. À medida que os níveis de glicose se estabilizem, você poderá notar que os sintomas como a sede desmedida desaparecerão.


A importância da dieta

Os veterinários recomendam uma dieta especial como parte do tratamento.


Controlar as comidas: mantenha uma consistência nos horários e nutrientes que contém seu alimento, já que tudo isso se relaciona com as injeções de insulina.
Aquilo com o qual você o alimenta é tão importante como quando o alimenta. Dê uma porção fixa de calorias e verifique que está lhe dando todas as vitaminas que possa precisar para evitar grandes oscilações da glicose em sangue. O mais recomendável é que seja uma dieta alta em proteínas e baixa em carboidratos. Isso ajudará a que a glicose não seja absorbida tão rapidamente no trato intestinal e ajudará a controlar os níveis de glicose depois das comidas.


Controle de peso: a obesidade pode causar uma resistência à insulina.


Para mais informações, consulte seu veterinário.

 

Fórmula felina
Fórmula completa para gatos adultos de todas as raças indicada no tratamento da obesidade felina.
Cada fórmula foi desenvolvida por Médicos Veterinários com eficácia comprovada para atender necessidades terapêuticas do seu gato, otimizando os resultados e diminuindo o tempo de recuperação.